RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL: MOSTRA SESC DE CULTURAS CARIRI DISTRIBUIU MUDA DE ÁRVORES NATIVAS E SENSIBILIZA SOBRE PRESERVAÇÃO

DE 09 A 12 DE NOVEMBRO, PROJETO PENSANDO VERDE REALIZA ATIVIDADES DE CONSCIENTIZAÇÃO NA PRAÇA DA SÉ, NO CRATO.

RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL: MOSTRA SESC DE CULTURAS CARIRI DISTRIBUIU MUDA DE ÁRVORES NATIVAS E SENSIBILIZA SOBRE PRESERVAÇÃO
A troca de mudas em plena mostra SESC cariri de culturas, cultura e meio ambiente andam juntos.

Vamos ajudar a preservar o meio ambiente? Pelo terceiro ano seguido, a 21ª Mostra SESC Cariri de Culturas abre espaço para a sustentabilidade e colaboração com o projeto “Pensando Verde na Mostra”. A iniciativa busca despertar a sociedade para a consciência ambiental com oficinas, rodas de conversas, vivência inclusiva, exposições e trocas de mudas na Praça da Sé, no Crato, entre os dias 09 e 12 de novembro. Para a técnica assistencial da atividade Desenvolvimento Comunitário do SESC Crato, Ione Sena, a programação sensibiliza a população sobre a importância do plantio e da preservação do Meio Ambiente. “Nós enfatizamos a necessidade das árvores para a sobrevivência dos seres vivos e a qualidade de vida dessa e das próximas gerações. Essa é uma questão urgente, e, cada um que participa da ação, contribui para o reflorestamento do Planeta”, fala Ione. As oficinas, exposições e rodas de conversas acontecem em parceria com colaboradores especialistas de instituições como Parque Estadual Sítio Fundão, SEMA, UPAMA, Geopark Araripe, além dos profissionais do SESC. Entre as atividades, os interessados irão aprender técnicas de plantio e colheita adequadas para cada tipo de muda, além de questões importantes como reutilização de materiais, utilização de agrotóxicos, alimentação saudável e os desafios enfrentados pelo Soldadinho-do-Araripe, pássaro típico da região e ameaçado de extinção.

CULTURA E LEITURA:

Como forma de compartilhar cultura e incentivar ações de manutenção da natureza, o projeto promove a troca de mudas de plantas florestais, ornamentais, medicinais e hortaliças por livros e brinquedos novos ou usados em bom estado de conservação. A meta é distribuir 600 unidades e arrecadar livros e brinquedos que serão destinados a instituições sociais atendidas pelo programa Mesa Brasil Sesc, assim como para comunidades carentes durante ações do projeto Pensando Verde no Cariri. Na edição de 2018, foram arrecadados 486 livros por meio de um gesto de amor das pessoas, que ajudaram a levar o acesso à leitura para diversas outras.

REFLORESTAMENTO DA MATA NATIVA:

Alguns municípios da região do cariri cearense abrangem a Floresta Nacional do Araripe-Apodi, um dos últimos redutos de mata Atlântica no País, por isso, a troca de mudas por livros na Mostra SESC de Culturas Cariri vai priorizar a difusão de plantas florestais nativas como cajueiro, Timbaúba e ypês roxo e amarelo.  Para aqueles que não dispõem de muito espaço ou preferem começar as atividades de plantio aos poucos, também serão disponibilizadas hortaliças como pimentão e tomate cereja, assim como plantas ornamentais, entre elas a samambaia.

ACESSIBILIDADE:

Além da programação na Praça da Sé, esta edição promove também uma vivência ambiental inclusiva, dia 12/11 às 7h, na Trilha dos Sentidos do Parque Estadual Sítio Fundão. A atividade é aberta ao público e conta com a participação de um grupo de participantes do Centro de Apoio aos Deficientes Visuais do Cariri e de idosos que participam do TSI no SESC. De acordo com Ione, a trilha permite acessibilidade de pessoas com deficiências diversas que, ao final, contemplarão uma apresentação voz e violão de uma das integrantes do Centro de Apoio aos Deficientes Visuais do Cariri.

SOBRE A MOSTRA SESC DE CULTURAS CARIRI:

Consolidada ao longo de duas décadas como um dos maiores projetos de difusão das artes do Brasil, a Mostra SESC de Culturas Cariri proporciona múltiplas experiências estéticas e de imersão cultural na região. Mais do que nunca, o encontro deste ano está baseado na conexão entre tradição e contemporaneidade, unindo brincantes, mestre de tradição, artistas, pesquisadores e público em geral. Uma oportunidade de trocar ideias e experiências, a partir do intercâmbio de conhecimento. O fazer artístico e suas variadas expressões, questões de acessibilidade, sustentabilidade, manifestações populares, patrimônio imaterial e memória social são apenas alguns dos temas que vão ser discutidos e partilhados ao longo dos cinco dias da Mostra.